ArtigosFuturoGeralInteligência ArtificialInternetOpnião

Porque “memes” fazem tanto sucesso? Você é refem de um algoritmo.

Os memes se tornaram uma febre nas redes sociais nos últimos anos, ocupando cada vez mais espaço na internet. Essas imagens, vídeos e frases engraçadas tomaram conta do Facebook, TikTok, Instagram, Twitter e outros aplicativos de mídia social. A popularidade dos memes levanta a questão de por que eles são tão atrativos e como os algoritmos das redes sociais escolhem preferencialmente exibir este conteúdo.

Será que estamos sendo manipulados? Vamos falar hoje sobre isso, e vou demonstar de uma forma didádica e na minha visão de Devops (Um cara que trabalha com algoritimos), como e porque isso acontece. Vamos lá?

❗ Mas antes de tudo, se você curte meus conteúdos, dê uma força e compartilhe este artigo com 5 pessoas do seu WhatsApp acessando os links no final do texto. Não leva muito tempo, e ajuda muito a aumentar nossa comunidade.

Para entender isso, é necessário compreender como os algoritmos funcionam. As redes sociais utilizam técnicas de Machine Learning e Deep Learning para aprender sobre seus usuários e personalizar o conteúdo exibido em seus feeds. O objetivo desses algoritmos é manter os usuários engajados e consumindo conteúdo por mais tempo.

Os algoritimos são criados a partir de analises de comportamento dos usuários, o famoso Behavios Score, e com base nisso, são preenchidos com outros dados cruzados para prever exatamente o que cada grupo de usuário tem como comportamento.

Os algoritmos são projetados para identificar padrões de comportamento dos usuários, como preferências por determinados tipos de posts e interações com outras pessoas. Por exemplo, se um usuário costuma reagir, compartilhar ou comentar em memes, o algoritmo entenderá que esse tipo de conteúdo desperta seu interesse. Então, ele selecionará cada vez mais memes para serem exibidos no feed desse usuário.

A explicação para isso está relacionada ao nosso funcionamento cerebral. Ver algo engraçado, como um meme, ativa a liberação de dopamina, um neurotransmissor associado ao prazer e recompensa. Essa sensação de prazer faz com que queiramos repetir a experiência, e é por isso que somos facilmente atraídos por esse tipo de conteúdo. Na realidade, a dopamina interfere diretamente em nossas escolhas e preferências.

Ao passo que muitos memes são rápidos, engraçados e fáceis de compreender, vídeos complexos que demandam mais atenção e esforço mental podem acabar sendo deixados de lado. Isso ocorre porque o cérebro busca atividades prazerosas e que requiram menos esforço, como olhar imagens engraçadas e vídeos curtos que na maior parte das vezes repetem um comportamento engraçado que vivemos no nosso dia a dia.

Compreendendo esse aspecto do cérebro humano, as redes sociais utilizam algoritmos para maximizar o tempo de navegação dos usuários. Quanto mais tempo você fica na plataforma, mais anúncios são exibidos e, consequentemente, mais receita é gerada para a empresa. Então, essas plataformas se beneficiam ao priorizar conteúdos que são mais propensos a prender a nossa atenção.

Existem estudos que investigam os efeitos do uso excessivo das redes sociais e celular no bem-estar das pessoas. O uso prolongado dessas tecnologias tem impactos negativos, como desenvolvimento de vícios, redução da produtividade, diminuição da concentração, distúrbios do sono, entre outros.

Os pesquisadores também têm evidências de que o uso excessivo do celular pode levar à diminuição da satisfação coom a convivencia pessoal e dá preferência cada vez mais para interações Virtuais, já que o tempo gasto em redes sociais tende a substituir interações pessoais e atividades offline que trazem mais felicidade e realização. Além disso, a exposição constante a informações filtradas pela seleção algorítmica pode contribuir para o reforço de bolhas de opinião e inibição do pensamento crítico, ou seja, você pode compartilhar uma informação jurando que é verdadeira mas na realidade é apenas uma FakeNews. (Com toda certeza você ja viu um caso assim)

Portanto, embora os memes sejam divertidos e possam trazer momentos de descontração, é importante estar consciente do tempo que dedicamos a eles e ao uso geral das redes sociais. Equilíbrio é fundamental, reservando tempo para atividades offline, estudos e interações sociais mais significativas. O entendimento de como os algoritmos funcionam e afetam nosso comportamento nos permite ter um maior controle sobre o que consumimos e como isso impacta em nossa vida.

Agora que você sabe como eles funcionam, não deixe o algoritimo manipular você, e que nos livramos dos algoritimos ruins, Amém!

Obrigado por ler até aqui e até amanha.

| Você pode compartilhar esta postagem para manter no seu feed do linkedin ou compartilhar no seu Whatsapp / Telegram |

👋 Sou um #DevOps Engineer vivendo o dia-a-dia na area de tecnologia, a vida como ela é! Quer acompanhar esta jornada ? basta seguir nos links abaixo.

⚡ Se inscreva no YouTube : https://lnkd.in/dmqKeBNg

🔥 Siga meu canal no telegram: https://t.me/spokmonkey

✆ Entre para o grupo do Whatsapp: https://lnkd.in/demJRca8

#Desenvolvedor #VidaDeDev #Programação #Tecnologia #LifestyleTech #DesenvolvimentoDeSoftware #CodeLife #DicasParaDev #TechCommunity #DevLife #CarreiraDeTI #AprenderProgramação #InspiraçãoParaDevs #ProdutividadeTech #CoderLife #ProblemasDeDev #TechTalks #CódigoReal #ColaboraçãoEmEquipe #RealidadeDaProgramação #lgpd #inteligenciaartificial #ia #ai #Artificialintelligence

Weder Costa

Menos qualificado, esperto e rico do que parece aqui. Um DevOps Engineer vivendo o dia a dia na area de Tecnologia, a vida como ela é! Top 100 influencer Tech I.A e Rede Neural Brasil 🏆 Preparando executivos e empresas para Tecnologia Inteligência Artificial 🚀 🤖 C.E.O e Fundador BookMaps, Formado em Marketing e experiência em TI como desenvolvedor há 15 anos, analista de sistemas, consultoria, arquiteto de soluções e gerente de projetos. Certificação em Black Belt e ênfase em Inteligência Artificial sendo reconhecido pelo Sebrae como precursor da tecnologia de Rede Neural no Brasil em 2014. Especialista nas linguagens (PHP,JAVA, Python, R e GO)

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo